Os Vingadores
27.04.2012
José Messias

Joss Whedon realizou uma proeza impressionante. O roteirista/quadrinista transformado em diretor não só colocou Scarlett Johansson num collant preto fazendo todo tipo de acrobacia imaginável, como fez com que esse fato fosse eclipsado completamente pela qualidade do filme. Algo memorável ao considerarmos que “Os Vingadores” é apenas seu segundo longa.

Na trama, desenvolvida por Zak Penn e Whedon, o semideus nórdico Loki (Tom Hiddleston) planeja trazer um exército alienígena para a Terra e assim dominar o planeta. Para impedir esta ameaça, a agência governamental “S.h.i.e.l.d.” reúne um grupo de heróis como uma espécie de força-tarefa improvisada. Porém, antes de salvar o mundo, Capitão América (Chris Evans), Homem de Ferro (Robert Downey Jr.), Thor (Chris Hemsworth) e o Dr. Bruce Banner/Hulk (Mark Ruffalo) precisam resolver suas diferenças, principalmente seus egos inflados, para conseguir trabalhar em equipe.

Em se tratando de adaptações de histórias em quadrinhos (HQs), há uma linha tênue que separa o brilhantismo de “Homem-Aranha 2” e “X-Men – Primeira Classe” do caricato de um “Power Rangers – O Filme”. Afinal, o que funciona esteticamente nos quadrinhos pode se tornar berrante nos cinemas (daí os uniformes pretos nos primeiros X-Men). E Whedon contorna esse fator de risco justamente assumindo-o e o utilizando como alívio cômico. Esse tom “menos formal”, sem se levar tão a sério, dá à película certo frescor, tornando “Os Vingadores” uma ótima pedida até para os não iniciados no universo dos quadrinhos.

Épico. Espetacular. Eletrizante. Sensacional. Muitas palavras podem ser utilizadas para adjetivar a produção, porém sua maior qualidade é, sem dúvida, fazer jus às grandes expectativas criadas pelos fãs ainda em 2008 quando o projeto foi anunciado.

Pode parecer bajulação barata responsabilizar apenas Whedon por esse resultado, mas, à bem da verdade, ele assumiu o projeto por inteiro, inclusive reescrevendo o roteiro de Penn que já estava pronto.

Definitivamente, “Os Vingadores” entra para o rol das obras-primas do gênero... e que venha o “Batman - O Cavaleiros das Trevas Ressurge”, a briga dentro e fora da telona vai ser muito boa!

 

Nota:

 

Crítica por: José Messias