COBERTURA 62º Festival de Cinema de Berlim

24.02.2012
Janaina Pereira
enviada especial a Berlim
  • Irmãos Taviani ganham Urso de Ouro com 'Cesare deve morrire'

O elegiado Cesare deve morire, dos irmãos Paolo e Vittorio Taviani, ganhou na noite deste sábado, dia 18, o Urso de Ouro do Festival de Berlim 2012. O longa, que vinha sendo apontado pela crítica como um dos favoritos ao prêmio, conta a história de um grupo de presidiários que vai montar a peça Julio César, de William Shakespeare.

A trama traça um pararelo entre a obra shakesperiana e o universo do presídio, e os atores são presidiários de verdade. “É o nosso prêmio mais importante, porque este filme é diferente dos outros que fizemos. Para nós, era essencial que o filme fosse visto aqui, um festival preocupado com os problemas sociais do mundo. Trabalhando na prisão, é fácil falar de liberdade, de tirania e de assassinato. Para nós na Itália, ‘Julius Caesar’, de William Shakespeare, é uma obra muito atual.””, disse Paolo Taviani na coletiva de imprensa dos vencedores.

O júri presidido por Mike Leigh deu o Prêmio Especial a Csak a Szel, fraco filme do húngaro Bence Fliegauf, que trata da situação dos ciganos. O Urso de Prata de melhor direção ficou com Christian Petzold pelo elogiado Barbara. O diretor disse que o filme foi diferente das suas experiências anteriores. "Eu perdi o controle das coisas. E foi bom.”

O Urso de Prata de melhor atriz ficou com Rachel Mwanza, de apenas 14 anos, por sua interpretação de uma menina-soldado no Congo no elogiado Rebelle. Desde a exibição do longa ontem, Rachel despontou como favorita ao prêmio. “Tive uma vida muito dura, sabia que era uma grande chance para mim e tentei fazer o meu melhor”, disse a jovem, que viveu nas ruas de Kinshasa antes de ser escolhida para fazer o papel.

Polêmicas foram as premiações dadas a En Kongelig Affaere, de Nikolaj Arcel. O filme ganhou como melhor roteiro e o ator Mikkel Boe Følsgaard surpreendentemente venceu como melhor ator - batendo Robert Duval e John Hurt, considerados favoritos por Jayne Mansfield's Car.

O troféu de inovação para o português Tabu, coprodução com a brasileira Gullane Filmes e dirigido por Miguel Gomes. A fotografia de Lutz Reitemeier para o chinês Bay Lu Yuan, de Wang Quan'an, recebeu o Urso de Prata por sua contribuição artística. Já o bom Sister, de Ursula Meier, ganhou menção especial do júri.

A 62ª edição do Festival Internacional de Cinema de Berlim teve como presidente do júri da mostra competitiva o cineasta inglês Mike Leigh. Os outros componentes do júri foram o fotógrafo e cineasta holandês Anton Corbijn, o diretor e roteirista iraniano Ashghar Farhadi, a atriz francesa Charlotte Gainsbourg, o ator americano Jake Gyllenhaal, o cineasta e roteirista francês François Ozon, o escritor argelino Boualem Sansal e a atriz alemã Barbara Sukowa.

NOTÍCIAS Anteriores